top1.jpg
  • Letras
  • Lyrics

Om Pushne Namah - Line up


Genne - Vocals
Zhema - Bass
Paulo Magrão - Guitar
Marcelo - Guitar
José Piloni - Drums

Om Pushne Namah - Lyrics


1. Cidade Dos Porcos
2. Besta Cibernética
3. Santos City
4. Perdido Achado e Regenerado

1. Cidade dos Porcos


Uma nuvem negra
Sobrepõe a cidade profana
Onde se criam monstros
Como se criam galinhas
Ali empera o cataclisma, a sepultura de lúcifer
Onde os ratos são os homens
E os ratos são os homens
Uma névoa podre

Cai sobre a cidade
Onde tudo é mentira
Nada é verdade
E essa cidade fica negra, mais negra do que a noite
Uma cidade agitada, carregada pelo mal, pelo mal

Essa é a cidade dos porcos
Porcos
Porcos


2. Besta Cibernética


Existe algo estranho no ar
Além de poluição
Algo que substitui o ser, gera a fome
Aumenta a dor

É a besta cibernética que aniquila o homem
Distorcendo a sua mente, assassinando a sua alma
Existe algo estranho no ar
Além de poluição
Algo que substitui o ser, gera a fome

Aumenta a dor
É a besta cibernética que aniquila o homem
Distorcendo a sua mente, assassinando a sua alma


3. Santos City


Quando a nuvem que vem por passar
Me chamem que eu quero olhar
As chuvas carregam a alegria e deixam a tristeza

No seu dia-a-dia
Debaixo de tua sombrinha passaste uma semana inteirinha
E seus habitantes, sabendo porque, trancado em seus habitat para verem TV

Mas a semana passou novamente
A cidade bom tempo voltou
Trazendo pessoas de outros lugares

Carros em velocidade
Lixo e papel para a localidade
E decorada se foi
Tivestes a chance de ter um romance, mas tudo falhou, tudo falhou
Nesta cidade de amor todos grifem papel impessoal
Escrevestes teu nome em um simples jornal, não passas de simples manchete em rádio normal

Mas a semana passou novamente
A cidade bom tempo voltou
Trazendo pessoas de outros lugares
Carros em velocidade


4. Perdido Achado e Regenerado


Se você pertence ao mundo dos ocidentais
Não há mais, não há mais, nada a fazer
Se você não sabe ver a cor do seu olhar
Não há mais, não há mais, razão para vive

A vida é tão fácil, de domar
Pegue um laço e prenda bem, firme em sua mão
Nunca mais, nunca mais, você vai se soltar
Mesmo que aconteça de você chorar
Nunca mais, caminhos vão faltar

Quem sabe se a rosa, vai brotar
Mesmo que pareça, que o mundo, vai acabar
Meu amigo não se esqueça, do momento de pensar
Que é tão fácil ser feliz
E o mal se corta na raiz, na raiz, na raiz


©2008 ::Vulcano::