top1.jpg
  • Festival da Morte
  • Festival da Morte

::: Festival da Morte - A História contada por quem estava lá:::

Show realizado em agosto de 1986 reunindo as bandas Mutilator, Chakal, Guerrilha e Vulcano, produzido por Silvio SDN.




"O ano de 1986 , shows estavam começando a pipocar em Bh e ja havia uma necessidade de intercambio entre as bandas, do Rio de Janeiro o Dorsal ja havia tocado em Bh com o Sepultura e o Overdose, precisavamos de trazer alguma bada de Sampa, era dificil bandas de Sp toparem tocar por aqui sem cache e então o Vulcano se interessou em tocar por aqui com um esquema de camaradagem e porcentagem de bilheteria.
Eu assumi a produção , mesmo sem quase nenhuma experiencia e sem patrocinio, consegui um "empréstimo" com o Joao da Cogumelo e fui em frente com o evento.
O line up foi Vulcano, Chakal, Mutilator e Guerrilha , que era um projeto paralelo do Sepultura comigo no vocal , mas por estar envolvido na produção e ja com o Mutilator o Gentil , um amigo nosso assumiu os vocais no Guerrilha.
O show foi em uma quadra de futebol society no Centro da cidade chamado Camisa 10. Espaço horroroso e sem nenhum conforto , tive de alugar , som , luz , palco e etc...
Claro a bilheteria nao cobriu os custos , e durante 6 meses trabalhei de graça pra Cogumelo em um novo projeto chamado Crepusculo dos Deuses , todos 0s fins de semana para cobrir o prejuizo do evento.
No restante nao me lembro muito pois estava muito chapado pra lembrar a hora dos shows, existe registro desse festival em video..., me lembro que no dia seguinte Sepultura e Vulcano seguiram viagem para SP pois na proxima semana o Sepultura iniciou as gravações do disco Morbid Visions em Sp nos estudios Vice-versa , hoje chamado estudios Trama."
(Silvio SDN)





Alexander "Magoo",   Ricardo Neves,   Silvio SDN,   Kleber,    Rodrigo Neves


"FESTIVAL DA MORTE, o ano era 1986, o movimento de Heavy Metal em Belo Horizonte e no Brasil começava a mostrar a sua cara,o Rock in Rio 1 havia deixado um legado e o movimento metal crescia em todo brasil. O MUTILATOR estava em crescimento e a gente como banda dedicava horas diarias aos ensaios e estavamos bastante entrosados para esse show. O Silvio nosso vocalista assumiu também a produção do evento com muita raça e coragem, afinal não tinhamos recursos financeiros e também nos faltava experiência suficiente para coordenar e produzir um evento. Tivemos a ilustre presença do VULCANO tocando com a gente e fazendo um intercâmbio entre bandas BH/SP. Me lembro que a galera estava nervosa e fizemos um ótimo show, afinal, o MUTILATOR estava em amplo crescimento. Tirando as adversidades com relação aos prejuizos, creio que esse festival foi um divisor de águas no metal mineiro. Eu sei que existe registro desse show, creio que as imagens pertencem a Cogumelo, e o sonho que um dia seja lançado em DVD, para que os Bangers mais novos sintam como era o movimento naquela época, vendo e sentindo a importância de bandas como MUTILATOR, VULCANO, GUERRILHA, CHAKAL etc, etc, etc para o metal nacional e mundial. Queria deixar um abraço aos ex-menbros do MUTILATOR e a todos os Bangers do Brasil !!!!!!!
(Ricardo Neves Costa:ex - Mutilator – Bass)



Mark,   Willian Wiz,   Vladimir Korg,   Destroyer,    Necromancer


O Festival da Morte ocorrido em Belo Horizonte no ano de 1986 foi um evento muito especial tanto para nós do Chakal como também para confirmar o titulo de bh como a capital do metal.
Pode parecer simples nos dias de hoje, mas foi um grande passo para o que seria consolidado nos anos seguintes, primeiro porque era uma dificuldade conseguir fazer um show por causa dos custos com equipamentos com a falta de experiência em fazer shows e ate em achar um lugar decente. Pra aumentar a expectativa ainda tinha o show do Vulkano, que era uma das bandas que estavam despontando para o cenário do metal realmente pesado do fim dos anos 80.
O Vulcano, talvez por ser do interior, era muito parecido com as bandas de BH, enquanto as bandas de São Paulo capital eram em sua maioria uma espécie de clone do NWOBHM, nós tentávamos fazer parte de um movimento bem mais recente, em decorrência dessa tentativa de sermos mais rápidos, técnicos, barulhentos e criativos surgiram nesse período excelentes bandas em Belo Horizonte e no Brasil.
O Chakal estava gravando sua participação na coletânea Warfare Noise I e fomos direto do estúdio para o local do show, vale salientar que foi o nosso segundo show e o primeiro com o Korg no vocal, acredito que a receptividade do público juntamente com o posterior lançamento da WN I os principais motivos que nos credenciaram para gravar nosso álbum Abominable Anno Domini.
O Vulcano foi um show a parte, depois da galera presenciar Chakal, Mutilator, Guerrilha, finalmente os portais do inferno se abriram e o Vulcano fechou com chave de ouro um show que creio eu, ficou marcado na memoria e em video para toda a eternidade.
Vale salientar que pela dificuldade financeira e até em conseguir encontrar instrumentos decentes, todos os músicos compartilharam seus instrumentos para que todos tocassem em igualdade de condiçoes.
(WIZ - Chakal - 2013)



Zhema   and   Angel"Uruka"


"Lembro pouco deste show, estava todo mundo da cena do metal da época, o som estava bem alto, e tinha muita fumaça das smoke mary tinha duas no palco, quase que não se via a plateia, foi o melhor show da formação clássica, Zhema, Eu, Soto junior, Zé Flavio e Laudir Piloni."
(Angel Uruka ex-Vulcano)




"Me lembro de ter chegado na rodoviária de BH e não sei como cheguei na Rua São Paulo onde se localizava a quadra do Camisa 10. Realmente estavam todos da cena Metal de 86 por lá. O show foi intenso e dá para ver pelo DVD lançado pela Cogumelo muito tempo depois. Após o show do VULCANO, aquelas coisas de fotos e tal teve uma brincadeira do Jairo muito interessante imitando um repórter da TV que dizia algo como "vem comigo..." e com isso ele conseguiu registrar momentos de descontração de todos que fizeram a cena nos anos 80. A casa fechou e fui procurar um hotel com minha esposa, e quem conhece a região sabe que tipo de hotel eu consegui, não é? Na semana seguinte fui pegar as 2 VHS com o Max, acho que em Alphaville SP. Eu e o Toninho Pirani da Brigade, com a ajuda de um amigo dele, fizemos a edição das duas câmaras, mas nunca foi lançado oficialmente. Muito tempo depois a Cogumelo achou os tapes originais e lançou em DVD."
(Zhema – Vulcano)




Relançamento em Cd do Bloody Vengeance com a gravação em DVD do Festival da Morte.



::Return::

©2008 ::Vulcano::